Direitos reservados. A publicação de conteúdos deste site, impressa ou online, sem autorização, está sujeita a sanções legais.

EMAIL: fafetvtemporeal@gmail.com

CONTACTO: 966301409  

Fafe Tv ©2019

leclerc.jpg
municipio frafe 08.2018.png
INTERMARCHE LOGO SITE.jpg
iesfafe-01.jpg
LOGO ACR SITE.jpg
Image1.jpg
LOGO JORGE PINHEIRO SITE.jpg
  • Redação

Crime de Pardelhas: Suspeita libertada, MP pedia prisão domiciliária


Foi libertada a principal suspeita do esfaqueamento que vitimou mortalmente Luís Rodrigues, um jovem de 21 anos de Ruivães.

No despacho do juiz do tribunal de Guimarães, é aplicada a medida de coação mais leve, termo de identidade e residência, com proibição de permanência no concelho de Fafe.

Na madrugada de terça-feira, entre as quatro e as quatro e meia. Luís foi esfaqueado com um golpe que lhe retirou a vida. Um alegado desentendimento, ao que a Fafetv apurou, situação que era comum e que era do conhecimento de ambas as famílias, terminou assim da pior forma.

Luís e Letícia viviam juntos na Travessa da Sanguinha em Pardelhas e nessa madrugada, fruto de mais um arrufo, a situação agravou-se. Após mais uma discussão, Letícia terá espetado a faca em Luís, tendo tido o golpe uma profundidade de dois centímetros  e meio. A jovem ainda prestou os primeiros socorros ao companheiro e ligou às quatro horas e trinta e nove minutos para o INEM a pedir ajuda.

Luís foi transportado ao hospital Sr.a da Oliveira em Guimarães onde chegou em estado muito grave, dado ter perdido muito sangue, ficando em morte cerebral. Acabaria por falecer na quarta-feira durante a tarde.

Letícia foi ouvida pela polícia Judiciária em Braga e foi presente ao juiz do tribunal de Guimarães na quinta-feira, sem saber ainda do falecimento do companheiro. A notícia foi-lhe transmitida pelo juiz, e a jovem entrou em pânico, tendo a sessão sido mesmo interrompida.

O ministério público pediu prisão domiciliária para Letícia com pulseira eletrónica, mediante o crime de homicídio simples. O juiz entendeu aplicar a medida de coação mais leve, com base no crime de ofensa à integridade física agravada, tendo sido mencionado, não ter havido a intenção de matar. A investigação prossegue e se Letícia for julgada pelo crime de ofensa à integridade física agravada poderá em caso de condenação ser-lhe aplicada uma pena que pode ir dos dois aos dez anos de prisão.

O funeral de Luís é este sábado em S. Gens às 10h.