Direitos reservados. A publicação de conteúdos deste site, impressa ou online, sem autorização, está sujeita a sanções legais.

EMAIL: fafetvtemporeal@gmail.com

CONTACTO: 966301409  

Fafe Tv ©2019

leclerc.jpg
municipio frafe 08.2018.png
INTERMARCHE LOGO SITE.jpg
iesfafe-01.jpg
LOGO ACR SITE.jpg
Image1.jpg
LOGO JORGE PINHEIRO SITE.jpg
  • Redação

Coletes Amarelos também vão estar em Fafe


O movimento dos coletes amarelos que esta sexta-feira promete paralisar o país, tem também presença em Fafe.

A Fafe TV apurou que vão concentrar-se junto ao Multiusos, dirigindo-se depois para a rotunda 25 de Abril, junto à BP.

Este movimento que se foi propagando através das redes sociais, define-se como pacífico, apartidário, sem fins lucrativos, de união e apoio a todos os grupos e indivíduos "que estejam insatisfeitos com os variados problemas de atualidade" do País. Esperam ainda que estes grupos estejam "dispostos a protestar até que os mesmos [problemas] estejam resolvidos".

Entre as reivindicações, contam-se a redução de taxas e impostos, como o IVA e o IRC, o "fim do imposto sobre produtos petrolíferos" (ISP) e "a redução para metade do IVA sobre combustíveis e gás natural".

O MCAP (movimento dos coletes amarelos de Portugal) pretende ainda a "redução das taxas sobre a eletricidade, com incidência sobre as taxas de audiovisual e de emissão de dióxido de carbono". Neste primeiro ponto, exigem também a "concessão de incentivos, fiscais e outros, para as micro e pequenas empresas poderem pagar, com a correspondente taxação às grandes empresas e multinacionais, com base na sua margem de lucro.

Num segundo ponto, o MCAP defende o aumento do salário mínimo nacional para os 700 euros, sendo que a solução apresentada para sustentar esse valor é um "corte nas pensões acima de 2 mil euros." Um novo corte nas pensões, desta vez nas "milionárias acima de 5 mil euros", como o movimento as apelida, é a sugestão dada para atingir outro objectivo: o aumento do valor do subsídio de emprego e do seu tempo de duração.

A alteração às pensões e reformas, o serviço nacional de saúde, o aumento do combate à corrupção, o acesso à habitação e o fim da especulação imobiliária, estão também entre as reivindicações.

De referir que na maioria dos concelhos do distrito de Braga o movimento vai ter presença, que vai convergir numa grande concentração junto à rotunda de Infias, em Braga.