top of page
leclerc.jpg
IEES.png
LOGO ERA SITE_edited.jpg
pub site.png
Novo-logo-da-DS.jpg
logo faftir site.jpg
INTERMARCHE LOGO SITE.jpg
Logo JP 2020.jpg
Image2.jpg
atelier logo.png
pub site.png
358076610_576253454714813_52943724004093

Bombeiro detido por ser suspeito de atear fogos por vingança

Texto: Polícia Judiciária


A Polícia Judiciária, através do Departamento de Investigação Criminal de Braga, com a estreita colaboração do Grupo de Trabalho para a Redução de Ignições em Espaço Rural – Zona Norte, deteve, fora de flagrante delito, o presumível autor de onze crimes de incêndio florestal, ocorridos entre os dias 06 de junho e 07 de julho do corrente ano, em várias freguesias do Concelho de Fafe.

Durante aquele período de tempo, várias freguesias do concelho de Fafe, designadamente Quinchães, S. Gens e Moreira do Rei, foram sistematicamente atingidas por uma onda simultânea de incêndios florestais, causando alerta entre a população local.

Face ao sucedido, a Polícia Judiciária em colaboração com o Grupo de Trabalho para a Redução de Ignições em Espaço Rural – Zona Norte, realizaram-se diversas ações de investigação, designadamente a análise do perfil do eventual suspeito.

Das diligências realizadas, resultou a identificação de um indivíduo, de 31 anos de idade, com a profissão de bombeiro, o qual, por vingança, fazendo uso da sua viatura pessoal, por norma após abandonar o serviço ou dias em que se encontrava de folga, procedia a inúmeras ignições em espaço rural e florestal.

Crê-se que o arguido seja responsável por dezenas de incêndios lavrados em Fafe nos últimos dois anos, o que fez elevar este concelho para um dos que maior índice de ignições registou.

Embora não exista ainda uma estimativa real da área consumida pelos incêndios, cifra-se em vários hectares de floresta, constituída principalmente por eucaliptos e mato. Os vários locais onde os incêndios ocorreram situam-se em zonas com condições de propagação a manchas florestais de grandes dimensões, gerando enorme risco, potencialmente alimentado pela carga combustível ali existente e pela orografia própria da região, o que se traduziu em elevadíssimo perigo concreto para as pessoas, para os seus bens patrimoniais e para o ambiente.

As diligências realizadas permitiram a recolha de vasto acervo probatório e levaram à detenção fora de flagrante delito do arguido, o qual será presente à Autoridade Judiciária competente para primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coação.




Comentarios


bottom of page