leclerc.jpg
IEES.png
LOGO ERA SITE.jpg
LOGO ACR SITE.jpg
municipio%20frafe%2008_edited.jpg
logo faftir site.jpg
INTERMARCHE LOGO SITE.jpg
Logo JP 2020.jpg
Image2.jpg
LOGO SITE.png

Gerente de escola de condução de Fafe, acusado de falsificação pelo Ministério Público de Braga.

No passado dia 22 de setembro, o Ministério Público acusou três arguidos imputando a todos eles a prática de dois crimes de falsificação de documento e de um crime de uso de documento de identificação alheio.

De acordo com a acusação, um dos arguidos era candidato a obter título de condução que o habilitasse a conduzir veículos da categoria C -veículos pesados de mercadorias; e querendo garantir a sua aprovação no exame teórico, solicitou ajuda a um dos outros arguidos, gerente de uma escola de condução com sede em Fafe, a troco de contrapartida.

No seguimento desta solicitação, diz a acusação, os arguidos engendraram um plano que passava por o arguido gerente da escola da condução arranjar uma terceira pessoa que fosse fazer o exame teórico em vez do arguido candidato; e que o eleito foi o terceiro arguido, administrativo numa escola de condução com sede em Vila do Conde, que se prestou a apresentar-se ao exame teórico de condução como se fosse o arguido candidato, assumindo a sua identidade, e a realizar o exame em vez dele.

O Ministério Público indiciou que no dia 07.08.2018, pelas 15h30, o arguido administrativo se apresentou no Centro de Exames de Braga da Anieca, como se fosse o arguido candidato, portando, para o demonstrar, o cartão de cidadão deste e uma guia de substituição da carta de condução do arguido candidato com fotografia sua, assim obtida do IMT, no sistema informático, pelo arguido gerente; e que iniciou mesmo a realização do exame, que assinou como se fosse o arguido candidato, acabando, no entanto, por ser percebida pelos funcionários do centro de exames a usurpação de identidade e convocadas as entidades policiais.